Seduções perigosas

O grande conflito entre Cristo e Satanás logo será concluído, e o maligno tem duplicado seus esforços para anular o que Cristo realiza pelos seres humanos. O objetivo dele é manter as pessoas em trevas e sem arrependimento, até que termine a intercessão do Salvador. Quando a indiferença prevalece entre os cristãos, Satanás não se preocupa. Mas quando as pessoas indagam: "O que é necessário fazer para ser salvo?", ele procura opor seu poder ao de Cristo e neutralizar a influência do Espírito Santo.

Em certa ocasião, quando os anjos de Deus foram se apresentar diante do Senhor, Satanás foi também entre eles, não para se curvar perante o Rei eterno, mas para apresentar seus planos maldosos contra os justos (veja Jó 1:6). Ele está presente quando as pessoas se reúnem para adorar a Deus e trabalha com dedicação a fim de controlar a mente dos adoradores. Quando vê o mensageiro de Deus pesquisando a Bíblia, ele anota o assunto que será apresentado ao povo. Então utiliza seu engano e astúcia para que a mensagem não atinja aqueles que ele está enganando nesse exato ponto. Aquele que mais necessita da advertência estará envolvido em alguma operação comercial, ou será de algum modo impedido de ouvir a palavra.

Satanás vê os servos do Senhor preocupados com as trevas que envolvem o povo. Ouve as orações deles pedindo graça e poder divinos para quebrar o encanto da indiferença e indolência. Então, com maior esforço, tenta as pessoas a satisfazerem o apetite ou alguma outra forma de transigência com maus desejos, assim amortecendo a sensibilidade deles, de maneira que deixem de ouvir precisamente as coisas que mais necessitam aprender.

Satanás sabe que todos aqueles que negligenciam a oração e o estudo da Palavra de Deus, serão vencidos por seus ataques. Portanto, inventa todo artifício possível para ocupar a mente. Aqueles que o auxiliam e são sua "mão direita", estão sempre ocupados enquanto Deus atua. Eles apresentarão os mais determinados e altruístas servos de Cristo como estando enganados ou sendo enganadores. É tarefa de Satanás representar falsamente as intenções de todas as atitudes nobres, difundir insinuações e despertar suspeitas na mente dos inexperientes. Entretanto, é possível ver facilmente o exemplo de quem seguem e a obra de quem fazem. "Vocês os reconhecerão por seus frutos" (Mateus 7:16).

O grande enganador tem muitos falsos ensinos preparados e adaptados ao gosto daqueles que ele deseja arruinar. É seu plano levar para a igreja pessoas não sinceras, não convertidas, que estimularão a dúvida e a incredulidade. Muitos que não têm verdadeira fé em Deus concordam com alguns princípios da verdade e aparentam ser cristãos, e assim estão aptos para introduzir seus erros como doutrinas bíblicas. Satanás sabe que a verdade, recebida por amor, santifica a vida. Portanto, procura substituí-la por falsas teorias e fábulas, ou por outro evangelho. Desde o início, os servos de Deus têm lutado com falsos mestres, que não são meramente pessoas corruptas, mas que impõem falsidades fatais. Elias, Jeremias e Paulo se opuseram firmemente aos que desviavam as pessoas da Palavra de Deus. A ideia de que é sem importância uma fé religiosa correta não era apoiada por aqueles santos defensores da verdade.

As interpretações confusas e especulativas sobre a Bíblia e as teorias conflitantes do mundo cristão são a obra do inimigo para confundir a mente das pessoas. A discórdia e divisão entre as igrejas são em grande parte causadas pelo costume de distorcer a Palavra de Deus a fim de apoiar uma teoria apreciada.

Com o objetivo de sustentar doutrinas equivocadas, alguns utilizam textos bíblicos isolados do contexto, citando talvez a metade de um versículo como prova de seu ponto de vista, quando a parte restante mostraria ser exatamente contrário o sentido. Com a astúcia da serpente, protegem-se por trás de declarações desconexas, construídas para satisfazer seus desejos. Outros se apegam a figuras e símbolos, interpretam-nos como acham melhor, desconsiderando o ensino da Bíblia como seu próprio intérprete, e então apresentam suas invenções como ensino de Deus.

Sempre que o estudo da Palavra de Deus é iniciado sem atitude de oração e desejo de aprender, o verdadeiro sentido dos textos mais claros será distorcido. A Bíblia inteira deve ser apresentada às pessoas tal como é.

Deus deu aos seres humanos a segura palavra da profecia. Os anjos e o próprio Cristo vieram para mostrar a Daniel e a João "o que em breve há de acontecer" (Apocalipse 1:1). Os importantes assuntos que dizem respeito à nossa salvação não foram revelados para tornar perplexo e confundir o honesto pesquisador da verdade. A Palavra de Deus é clara a todos os que a estudam com oração.

Pretendendo ter uma "mente aberta", as pessoas se tornam cegas às ciladas do inimigo. Ele é bem-sucedido em substituir a Bíblia por especulações humanas; a lei de Deus é posta de lado; e as igrejas se acham escravizadas pelo pecado, embora declarem estar livres.

Deus permitiu que grande luz fosse derramada sobre o mundo através das descobertas científicas. Porém, mesmo as maiores mentes, se não forem guiadas pela Palavra de Deus, ficarão desorientadas em suas tentativas de investigar as relações entre a ciência e a religião.

O conhecimento humano é parcial e imperfeito; portanto, muitos são incapazes de harmonizar seus pontos de vista científicos com a Bíblia. Muitos aceitam meras teorias como fatos científicos, imaginando que a Palavra de Deus deva ser provada pela "falsamente chamada ciência" (1 Timóteo 6:20, ARC). Por não poderem explicar o Criador e Suas ações através das leis naturais, a história bíblica é considerada indigna de confiança. Aqueles que duvidam do Antigo e do Novo Testamentos, muitas vezes vão além, duvidando da existência de Deus. Tendo perdido sua âncora, são deixados a chocar-se contra as rochas da descrença.

É obra-prima dos enganos de Satanás manter as pessoas em especulações a respeito daquilo que Deus não revelou. Lúcifer se sentiu insatisfeito porque nem todos os segredos de Deus lhe foram declarados, e desprezou completamente aquilo que havia sido revelado. Agora procura impregnar a mente das pessoas com a mesma atitude, levando-as também a desconsiderar os claros mandamentos de Deus.

Quanto menos espirituais e altruístas forem as doutrinas apresentadas, mais facilmente serão aceitas. Satanás está pronto a atender o desejo do coração, e apresenta seus enganos em lugar da verdade. Foi assim que o papado dominou a mente das pessoas, durante a Idade Média. E, ao rejeitarem a verdade, visto que ela implica em sacrifício, os evangélicos estão seguindo o mesmo caminho. Todos aqueles que procuram conveniências e estratégias para não se acharem em desacordo com o mundo, aceitarão "heresias destruidoras" (2 Pedro 2:1) como se fossem verdade. Quem olha com horror para um engano, receberá facilmente outro.

Entre as criações mais bem-sucedidas do grande enganador, encontram-se os ensinos ilusórios e mentirosos do espiritualismo. Ao rejeitarem a verdade, as pessoas caem nas armadilhas do engano.

Outro erro é a doutrina que nega a divindade de Cristo, afirmando que Ele não existia antes de Sua vinda ao mundo. Essa teoria contradiz as declarações de nosso Salvador a respeito de Seu relacionamento com o Pai e Sua existência antes da criação do Universo (veja João 17:5, 24). Destrói a fé na Bíblia como revelação de Deus. Se as pessoas rejeitam os ensinos bíblicos sobre a divindade de Cristo, é inútil argumentar com elas; pois nenhum argumento, ainda que conclusivo, poderia convencê-las. Ninguém que alimente esse erro pode ter uma compreensão correta do caráter ou missão de Cristo, nem do plano de Deus para a salvação do ser humano.

Ainda outro erro é a crença de que Satanás não é um ser pessoal, mas que esse nome é utilizado nas Escrituras meramente para representar os maus pensamentos e desejos humanos.

O ensino de que o segundo advento de Cristo é a Sua vinda a cada indivíduo por ocasião da morte é uma cilada para desviar a mente das pessoas de Sua vinda pessoal nas nuvens do céu. Satanás tem estado a dizer: "Ali está Ele, dentro da casa!" (Mateus 24:26), e muitos se perdem por aceitarem esse engano.

Alguns cientistas ensinam que a oração não pode, na verdade, ser atendida. Isso seria a violação da lei – um milagre, e milagres não existem. O Universo, dizem eles, é governado por leis fixas, e o próprio Deus nada faz que contrarie essas leis. Assim representam Deus como sendo governado por Suas próprias leis – como se as leis divinas pudessem excluir a liberdade divina.

Porventura Cristo e os apóstolos não realizaram milagres? O mesmo Salvador está hoje tão disposto a ouvir a oração feita com fé como quando andava visivelmente entre os seres humanos. O natural está unido ao sobrenatural. É parte do plano de Deus conceder-nos, em resposta à oração feita com fé, aquilo que Ele não concederia se não pedíssemos assim.

Doutrinas errôneas removem os fundamentos fixados pela Palavra de Deus. Poucos são os que se contentam em rejeitar apenas uma verdade. A maioria continua a abandonar, um após outro, os princípios da verdade, até que perdem a fé.

Os erros da teologia popular têm levado muitas pessoas ao ceticismo. Para elas é impossível aceitar doutrinas que ofendem seu senso de justiça, misericórdia e bondade. Sendo que esses erros são apresentados como ensinos da Bíblia, essas pessoas se recusam a recebê-la como a Palavra de Deus.

A Bíblia é olhada com desconfiança pelo fato de reprovar e condenar o pecado. Aqueles que não estão dispostos a obedecê-la, esforçam- se para derrubar sua autoridade. Não poucos se declaram sem fé a fim de justificar a negligência ao dever. Outros, tão apegados à comodidade que não realizam qualquer coisa que exija esforço ou sacrifício, tentam conquistar fama de sabedoria superior ao criticarem a Bíblia.

Muitos pensam ser virtude manifestar descrença e ceticismo. Mas, aparentando sinceridade, existe autossuficiência e orgulho. Muitos têm prazer em encontrar na Bíblia alguma coisa que confunda a mente dos outros. Alguns inicialmente têm essa atitude por simples amor à controvérsia. Tendo, porém, expressado abertamente a descrença, unem-se àqueles que rejeitam a Deus.

Deus deu em Sua Palavra evidência suficiente de que ela possui origem divina. Porém, a mente finita não é capaz de compreender completamente os propósitos do Ser infinito. "Quão insondáveis são os Seus juízos e inescrutáveis os Seus caminhos!" (Romanos 11:33). Podemos perceber amor e misericórdia ilimitados unidos ao poder infinito. Nosso Pai celestial revelará tudo aquilo que é para o nosso bem. Mas, além disso, devemos confiar na mão onipotente, no coração divino repleto de amor.

Deus jamais removerá toda desculpa para a descrença. Todos aqueles que buscarem ganchos em que pendurar suas dúvidas, os encontrarão. E aqueles que se recusarem a obedecer até que toda objeção tenha sido removida, jamais chegarão à luz. O coração não convertido está em inimizade com Deus. Mas a fé é inspirada pelo Espírito Santo e crescerá à medida que for acalentada. Ninguém poderá se tornar forte na fé sem esforço decidido. Se as pessoas permitirem a si mesmas contestar, verão que suas dúvidas constantemente se tornam maiores.

Mas aqueles que duvidam e não confiam na certeza de Sua graça, desonram a Cristo. São árvores infrutíferas que excluem a luz do Sol de outras plantas, fazendo-as atrofiar e morrer na fria sombra. A atitude dessas pessoas será uma constante testemunha contra elas mesmas.

Há apenas um caminho a seguir, para todos aqueles que desejam sinceramente livrar-se das dúvidas: em vez de questionar aquilo que não compreendem, vivam de acordo com a luz que já brilha sobre eles, e receberão maior luz.

Satanás pode apresentar uma imitação tão parecida com a verdade que seja capaz de enganar aqueles que estão dispostos a ser enganados, que desejam se livrar do sacrifício exigido pela verdade. Porém, é impossível a ele reter em seu poder uma só pessoa que sinceramente deseje conhecer a verdade, custe o que custar. Cristo é a verdade, "a verdadeira luz, que ilumina todos os homens" (João 1:9). "Se alguém quiser fazer a vontade dEle, conhecerá a respeito da doutrina" (João 7:17, ARA).

O Senhor permite que Seu povo seja submetido ao ardente teste da tentação, não porque Ele tenha prazer em sua angústia, mas porque isso é indispensável para a vitória final de Seu povo. Se Deus o livrasse da tentação, Ele não seria coerente com Sua própria glória, pois o objetivo do teste é preparar Seu povo para resistir à sedução do mal. Nem perdidos nem demônios podem excluir a presença de Deus de Seu povo se este confessar e abandonar seus pecados e reivindicar as promessas divinas. Toda tentação, quer expressada, quer secreta, pode ser vencida com êxito, "'não por força nem por violência, mas por Meu Espírito', diz o Senhor dos Exércitos" (Zacarias 4:6).

"Quem há de maltratá-los, se vocês forem zelosos na prática do bem?" (1 Pedro 3:13). Satanás sabe que a pessoa mais frágil que permanece em Cristo é mais do que suficiente para competir com as hostes das trevas. Portanto, procura retirar de suas poderosas fortificações os soldados de Cristo, enquanto fica em espreita, pronto para destruir todos aqueles que se arriscam a penetrar em seu terreno. Somente através da confiança em Deus e da obediência a todos os Seus mandamentos, poderemos estar seguros.

Ninguém está livre de perigo por um dia ou uma hora, sem oração. Devemos suplicar ao Senhor por sabedoria para compreender Sua Palavra. Satanás é hábil em citar a Bíblia, dando sua própria interpretação aos textos que deseja utilizar para nos fazer tropeçar. Devemos estudar a Bíblia com coração humilde. Para estar constantemente protegidos das ciladas de Satanás, precisamos orar continuamente: "Não nos deixes cair em tentação" (Mateus 6:13).

A Grande Esperança
Copyright © 2011 - Todos os direitos reservados. | Igreja Adventista do Sétimo Dia | iDSA